:: portugués

Novos argumentos para a Palestina

Vários membros ou descendentes da comunidade judaica assinaram um novo apelo de solidariedade com o povo palestino. Pedimos a multiplicação dos protestos contra os assassinatos na Cisjordânia, os bombardeios em Gaza e os ataques aos árabes em Israel (1).
Nesta declaração destacamos a incompatibilidade das raízes, tradições e valores da cultura judaica com os massacres perpetrados pelo exército israelense. Esses crimes destroem o fundamento humanístico de um legado milenar propenso à irmandade dos povos
Leer texto completo [PDF]

Tão distante do imperialismo como do Sul global.

O caráter imperialista dos Estados Unidos é um dado indiscutível da geopolítica
contemporânea. A extensão desse qualificativo à China suscita, por outro lado, debates
apaixonados.
Nossa abordagem ressalta a assimetria entre os dois adversários, o perfil agressivo de
Washington e a reação defensiva de Pequim. EnqLeer texto completo [PDF]uanto a primeira potência procura
restaurar seu domínio mundial em declínio, o gigante asiático tenta sustentar um
crescimento capitalista sem confrontações externas. Enfrenta também sérios limites
históricos, políticos e culturais para intervir com atos de força em escala global. Por estas
razões, não faz parte atualmente do clube dos impérios

As novas encruzilhadas da América Latina

Em diferentes cantos do hemisfério verifica-se a mesma tendência para o reinício das revoltas que convulsionaram a América Latina no início do milénio. A esquerda precisa de diagnósticos e programas, mas nenhum documento escrito resolverá os enigmas da experiência militanteLeer texto completo [PDF]

A economia pós-pandémica em disputa na Argentina

A retoma argentina pode passar por dois modelos opostos. Um é marcado pela desigualdade, precarização do trabalho, primarização e atividades extrativas. Outro implica a revitalização dos rendimentos populares, a recuperação do emprego e a reindustrialização. Leer texto completo [PDF]

Confluência do vírus na América Latina

A superlotação e a pobreza podem transformar a pandemia em uma grande tragédia. A privação da saúde é dramática em comparação com os países mais afetados pela infecção e a negação criminosa multiplica o número de mortes. Governos de direita priorizam as empresas e levantam quarentenas, ao contrário das administrações que privilegiam a proteção dos cidadãos.
O coronavírus desencadeou outra crise do capitalismo dependente, e a escala antecipada dessa convulsão é aterrorizante. A agressão contra o salário e o emprego coexiste com resgates que privilegiam o alívio dos empresários. A viabilidade desta ajuda dependerá da duração da recessão e suas modalidades prefiguram diferentes rumos da economia após a pandemia.
Leer texto completo [PDF]

Um detonador da crise potencializado pelo lucro

A crise econômica mundial se aprofunda a um ritmo tão vertiginoso como a pandemia. Já ficou para trás a redução da taxa de crescimento e a freada brusca do aparato produtivo chinês. Agora se derrubou o preço do petróleo, colapsaram as Bolsas e se instalou o pânico no mundo financeiro. Leer texto completo [PDF]

Dívida, FMI e auditoria num contexto inédito

Macri não pôde transferir a crise para o próximo presidente e deixará uma economia em ruínas. Ele livrou-se da antecipação das eleições e de enfrentar uma rebelião popular semelhante à do Equador, mas desapareceu no final do mandato

Leer texto completo [PDF]

Quais são as perspectivas após o desastre de Macri?

A Argentina em vertigem. A grande vitória contra Macri foi sucedida por outra desvalorização monetária e uma nova erosão da renda da cidadania. O governo zumbi já perdeu as rédeas da economia e enfrenta uma duvidosa subsistência até o fim do ano.

Argentina: o peronismo e a esquerda face ao ocaso de Macri

O enorme impacto da fórmula Fernández-Fernández ilustra a mudança no cenário político, que o fracasso económico de Macri gerou. Fórmula Fernández-Fernández - Alberto Fernández candidata-se a Presidente da República da Argentina, tendo Cristina Fernández Kirchner como candidata a vice-presidente nas próximas eleições presidenciais da Argentina, 27 de outubro de 2019.

Mais Grave que a Grecia e longe de Portugal

Todos os indicadores da economia confirmam um cenário dramático com quatro resultados possíveis. A improvável continuidade do partido no poder implicaria um tedioso ajuste e a eventual dolarização diante de um grande desastre. O alívio da última década colide com a liderança credor do FMI, a adversidade comercial e a desvalorização não resolvida. O Calvário da Grécia antecipa os sofrimentos que o país enfrentará, em uma renegociação da dívida moldada ao FMI. As expectativas em um alívio português tendem a diluir a batalha contra os financistas.